quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

Fui como ervas e não me arrancaram (17) - AC - Adeus Craveiro


* Victor Nogueira
.
.

NOTA - No texto fala-se nos cigarros AC, uma marca de Angola. E esta referência fez-me lembrar dum comentário do meu pai, à mesa, em Luanda: que Fulano «tinha sido preso pela PIDE porque numa cervejaria puxara dum maço de AC, olhando para este e comentando "Adeus Craveiro"» e mais o meu pai não contou ficando eu, miúdo de 12 anos, sem saber porque carga de água o homem tinha sido preso por se despedir do Craveiro Lopes, substituído pelo Américo Tomás na Presidência da República, em confronto este com o General Humberto Delgado.

.

Só mais tarde, já em Portugal, soube das divergências políticas entre o PR que fora substituído e o efectivo governante-mor, Salazar, apoiado na PIDE. Sempre ouvi dizer mas não sei se é verdade, que em Angola o vencedor teria sido efectivamente o chamado General sem Medo. (Victor Nogueira)

Adenda in

1 comentário:

Maria, Simplesmente disse...

O General SEM MEDO venceu em todo o Portugal, mas foi tudo abafado.
Ao fechar das urnas a PIDE já estava à porta para entrar e destruir tudo e não deixar colocar os resultados.
Nesse tempo as mulheres não podiam votar.
Falo com conhecimento de causa.
Bj
Maria